autarquicas2017

 
pdm2revisao

turismolazer03

termas fsaguas 2017

recolha monos01

estrategia 25

risco incendio

pre if

 Decorreu em Penamacor nos dias 24 e 25 de Fevereiro

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE TURISMO SUSTENTÁVEL

Quando cada vez mais se fala nos perigos ambientais que ameaçam o planeta e se põem em causa os complexos e sensíveis equilíbrios dos sistemas que sustentam a vida; quando, apesar disso, se continua a insistir em modelos de crescimento económico que devem pouco ao conceito de desenvolvimento sustentável, faz todo o sentido, neste tempo e neste lugar, a realização de uma conferência sobre turismo sustentável, ainda mais no momento em que a ONU declarou 2017 como Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, “para promover uma melhor compreensão entre os povos em todo o mundo, levando a uma maior conscientização sobre o rico património das diversas civilizações”. A conferência decorreu nos dias 24 e 25 de Fevereiro com os participantes a seguirem com interesse as comunicações dos conferencistas ao longo das duas jornadas.

O empenho pessoal que o presidente António Luís pôs nesta organização ficou bem patente no número e qualidade dos oradores convidados e das respectivas entidades e organizações que representavam. Para o primeiro dia, e do estrangeiro, vieram: Carol Ritchie, directora executiva da Federação Europac, entidade que gere o processo e supervisiona a admissão de novos membros da Carta Europeia para o Turismo Sustentável; Kristin Rangnes, vice-presidente da Rede Europeia de Geoparques e membro do Comité Executivo da Rede Global de Geoparques; José María Barrera, coordenador dos Serviços Estratégicos de Desenvolvimento Territorial da Deputação de Cáceres e director do Geoparque Villuercas-Ibores-Jara. De Portugal, marcaram presença os presidentes das Câmaras de Penamacor, Idanha e Sabugal, respectivamente, António Luís, Armindo Jacinto e António Robalo; Ana Rita Garcia, directora da Escola Superior de Gestão do IPCB; Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro de Portugal; José Santos, director de Departamento do Turismo do Alentejo; Carlos Neto de Carvalho, coordenador científico do Geopark Naturtejo; António Duarte, Sílvia Marcos e Eva Lima, em representação, respectivamente, dos geoparques Arouca, Terras de Cavaleiros e Açores.

O segundo dia foi reservado para a apresentação projectos que já se encontram em fases mais ou menos avançadas de desenvolvimento, com dinâmicas e taxas de sucesso assinaláveis, de iniciativa privada ou institucional, sendo o caso, por exemplo, da Rede Bikotel, representada pela gestora de projecto Marta Salvador; da GR22, da qual Dalila Dias, coordenadora técnica das Aldeias Históricas de Portugal, fez o ponto da situação e adiantou perspectivas futuras; da recém criada CETS - Terras do Lince, cujas oportunidade de desenvolvimento que traz consigo foram enumeradas por Mariana Vilas Boas, técnica do GeoparK  Naturtejo. Da Reserva Natural da Serra da Malcata, enquanto potencial destino para o turismo sustentável, falou António Cabanas, técnico do ICNF. Finalmente, de Espanha, Javier Sánches-Palencia, professor do Concelho Superior de Investigações Científicas daquele país, com base em estudos que vem dirigindo de há uns anos a esta parte, veio propor a valorização do Complexo Mineiro da Minas da Presa/Ouro Romano para a diferenciação turística de Penamacor.

cits1 cits2 cits3

cits4 cits5 cits6

cits7 cits8 cits9

cits10 cits11

 

Acção financiada por:

cits financiamento

 

tl bt



bm bt42
rcbpenamacor

 

artedobrar01

web gnr2017

ap livro setembro a

link exposicoes